Acompanhar a inovação tecnológica lidera a lista de tarefas do CFO em 2019

Este artigo foi escrito por Amanda Iacone da Bloomberg Tax. Apareceu primeiro no Terminal Bloomberg.

Inovações como análise de dados e automação não estão alcançando o setor de financiamento corporativo tão rapidamente quanto CFOs e controladores gostariam, causando uma grande revolução tecnológica em 2019.

Apenas 13% destes profissionais dizem usar automação de processos de robótica em suas equipes. Um grupo ainda menor — 10% — diz possuir em suas equipes o conjunto de habilidades necessário para adotar e usar tecnologias emergentes, de acordo com uma recente pesquisa conjunta da Association of International Certified Professional Accountants e Oracle Corp.

Quais são os 5 principais desafios do tesoureiro corporativo? Baixe o e-book e descubra

O Institute of Management Accountants descobriu em outra das diversas pesquisas e relatórios divulgados no último mês que menos de 9% dos membros em todo o mundo atingiram sua meta de implantar ferramentas e técnicas avançadas de análise de dados, mas quase 60% trabalhavam ativamente para adotá-los.

Quase metade dos executivos de relatórios financeiros disseram não acompanhar as inovações tecnológicas, de acordo com uma pesquisa da KPMG LLP, no entanto, 70% disseram ter investido em tecnologia de relatórios financeiros no último ano.

Controladores e CFOs estão cientes de que estão ficando para trás, “Eles admitem abertamente que não estão tão avançados quanto gostariam”, disse Chris Westfall, vice-presidente de estratégia de conteúdo da Finance Executives International. “O setor de finanças corporativas está tentando descobrir uma maneira de alcançar os outros aspectos do negócio.”

Investir em ferramentas como automação de processos de robótica e análise avançada é uma das principais prioridades dos CFOs em 2019 — acima até da implementação de mudanças significativas em regras contábeis, fusões e outras necessidades de negócios, disse Westfall.

A área da contabilidade tem lutado para se adaptar a novas ferramentas e tecnologias que substituirão verificações e processos, geralmente tediosos e demorados, realizados por contadores rotineiramente. Espera-se que estas ferramentas liberem os contadores para dedicar tempo em análises mais complexas, algo que os defensores destas mudanças esperam que proporcione melhores insights, que ajudariam no resultado financeiro de uma empresa.

Para o financiamento corporativo, a nova tecnologia pode automatizar controles financeiros, permitir que contadores se concentrem em áreas de maior risco e oferecer caminhos para uma auditoria mais eficaz. Combinados, isso poderia resultar em demonstrações financeiras mais confiáveis, disse Roger O’Donnell, sócio da KPMG e diretor global de dados e análises para auditoria da empresa.

“A tecnologia está mudando o panorama dos relatórios financeiros e, por inferência, a auditoria externa e o que podemos fazer” , disse O’Donnell.

Empresas de auditoria têm investido pesadamente em tecnologia emergente, incluindo ferramentas de tecnologia de nuvem, RPA, machine learning e visualização de dados.

No entanto, colocar estas novas ferramentas para funcionar depende inteiramente dos sistemas do próprio cliente e em sua capacidade de produzir o tipo de informação que os auditores precisam, disse O’Donnell.
Auditores têm uma tecnologia mais avançada do que os seus clientes no momento , disse Ash Noah, diretor-gerente de aprendizagem, educação e desenvolvimento de contadores de gestão global para a Association of International Certified Professional Accountants.

Desafios

O relatório AICPA-Oracle serviu como um check-up dois anos após uma pesquisa semelhante. Suas descobertas mostram que pouca coisa mudou — enquanto algumas empresas avançaram suas capacidades técnicas, outras não, disse Noah à Bloomberg Tax.

Empresas estabelecidas, como grandes bancos e companhias aéreas, investiram milhões em sistemas financeiros defasados e nas políticas e processos que os acompanham. A atualização para sistemas de planejamento de recursos empresariais baseados em nuvem não é tarefa fácil e permanece entre os maiores obstáculos à adoção de novas tecnologias, disse Noah.

A mudança para a nuvem representa um gigantesco avanço tecnológico e um primeiro passo crucial para desbloquear a análise avançada de dados, automação e novas formas de fazer negócios. A nuvem muda a forma como os dados podem ser usados e facilita a introdução das mais recentes inovações, disse Noah.

A lacuna na capacitação continua sendo outro desafio — a falta de pessoas no setor de finanças e contabilidade capazes de aplicar matemática e estatísticas à montanha de dados coletados pelas empresas. CFOs agora tentam descobrir como desenvolver estes conjuntos de habilidades em suas equipes, disse.

Agende uma demo.