7 fluxos manuais que o front office pode eliminar para impulsionar os negócios

Esses processos podem ser automatizados por meio de tecnologias com redução de custos e ganhos de rentabilidade.

O futuro dos mercados financeiros e da negociação de ativos é digital. Afinal, as transações precisam ser realizadas com redução de custos, agilidade, eficiência operacional e diminuição de risco regulatórios. Essa evolução passa pela era da automação, em que muitos dos fluxos manuais do front office são executados automaticamente, deixando sales e traders mais livres para focar em operações lucrativas e estratégias para impulsionar negócios.

Às vezes, sales e traders acabam inserindo informações das operações em mais de uma aplicação porque a infraestrutura tecnológica da mesa de negociação não está totalmente integrada com sistemas legados ou soluções de terceiros. Há também fluxos que ainda são realizados de forma manual, por recursos de voz ou por ferramentas desconectadas.

As ferramentas de automação e digitalização têm o objetivo de transformar os processos manuais que podem causar prejuízos aos negócios e maior exposição a riscos. Fluxos realizados manualmente geram mais custos, ineficiência, resultados inconsistentes e altas taxas de erros. A revolução tecnológica promete transformar o front office para que ele opere com maior inteligência e diferencial competitivo.

Como acelerar a transformação digital do front office  Acesse o relatório

Processos manuais que podem ser automatizados

Para ajudar sua organização a mover o front office para a era digital, listamos a seguir sete fluxos de trabalho da etapa de trading que podem ser automatizados para dar maior agilidade às operações e impulsionar os negócios.

1 – Captura de novos negócios

Muitos dos processos de originação de novos negócios são manuais, o que pode tornar brokers mais reativos. Ao se apoiarem em ferramentas automatizadas que integram o front office, eles podem acessar pesquisas e análises sobre os clientes para traçar estratégias de vendas mais proativas.

Sales, por exemplo, precisam levantar o máximo de informações antes de entrar em contato com o cliente para apresentar ideias de investimento bem embasadas. Com o uso de plataformas digitais, eles podem pesquisar o perfil de determinado investidor e avaliar seus históricos de compra e venda, além da exposição do setor em que ele atua. Essas informações ajudam a identificar e atrair clientes específicos.

Plataformas como o DASH, da Bloomberg, por exemplo, oferecem um conjunto de soluções para melhorar a cobertura de clientes, permitindo atendimento a mais clientes, em menos tempo e de forma personalizada. Assim, o front office pode escalar mais seus negócios e melhorar a satisfação dos clientes.

2 – Execução de ativos

Grande parte das execuções de ativos financeiros no mercado brasileiro é realizada por sistemas de voz ou chat. Esse processo pode ser feito de forma mais rápida e com precisão com ferramentas que automatizam esse fluxo para maior agilidade e eficiência operacional com redução de custos. Uma opção é a solução EMSX, da Bloomberg, um sistema de negociação eletrônica multiativo. A plataforma integra dados do Terminal Bloomberg sobre bolsas e corretoras com suas ordens de negociação.

A implementação desse tipo de tecnologia integra dados e outras aplicações para melhorar a execução. É possível aprimorar também a performance das negociações e transformar dados sobre ordens e transações em vantagem competitiva, atendendo às exigências regulatórias.

3 – Confirmação com a contraparte

A confirmação do envio de ordens de compra ou venda de ativos dos traders com a contraparte costuma ser realizada em grande parte por aplicações de voz, chat ou e-mail. Ferramentas como o EMSX, da Bloomberg, aceleram esse processo, enviando a confirmação por um sistema eletrônico, tornando essa comunicação mais rápida e eficiente.

4 – Boletagem das operações

Por fazer muitas operações manuais, o front office gasta mais tempo para fazer a boletagem. Na etapa do pós-trade, as equipes são obrigadas a consultar sistemas diferentes para realizar esse processo. Quando as negociações são feitas por ferramenta eletrônicas de RFQ (Request for Quote), a boleta é gerada automaticamente com todo o detalhamento da operação. Além disso, quando realizada por sistemas eletrônicos, a boletagem passa a ser feita de forma mais transparente.

Uma das soluções que facilita esse fluxo é a plataforma TOMS, da Bloomberg, de gestão de ordens de negociação, que integra todos os sistemas do front com o middle e o back office, garantindo a uniformidade e a consistência da informação em todas as etapas do trading.

5 – Conciliação de trades entre o front office e o back office

Ao eliminar processos manuais, as informações das negociações realizadas por ferramentas eletrônicas passam a alimentar outros sistemas. Dessa forma, as atividades de conciliação com o back office são feitas de maneira simplificada porque as informações são capturadas do front office em tempo real.

O TOMS, da Bloomberg, é um exemplo deste tipo de ferramenta. Ele facilita o processo de conciliação entre o front e o back office e mantém o histórico das operações por até sete anos, assim como todo o inventário das posições por book.

6 – Batimento de posição nos books

Quando as operações do front office são executadas por plataformas digitais, o batimento da posição nos books é mais ágil e eficiente. Em instituições financeiras que utilizam o TOMS, por exemplo, é possível fazer com que as operações sejam pré-alocadas no book escolhido pelo trader, reduzindo conflitos de informações de posição entre o front e o back office e seus sistemas legados. A automação e a integração são fundamentais para que os sistemas de sell side e legados transmitam dados corretos em tempo real, dando maior visibilidade aos negócios.

7 – Controle de posição, resultado intradiário e risco

Sistemas de voz e uso de aplicações descentralizadas ainda fazem parte das mesas de trading para controle das posições diárias e gestão das regras de compliance. A ausência de um sistema único e integrado dificulta o atendimento dos requisitos de conformidade em um mercado cada vez mais dinâmico e com regulamentações complexas e aumenta as probabilidades de violação das políticas e limites internos, bem como os riscos legais e falhas no relato de processos. Esses fatores podem gerar multas e disrupções em negociação e fluxos de trabalho devido a erros na inserção de dados de um sistema para outro. O TOMS e o EMSX, da Bloomberg, podem ajudar nesse desafio, com o envio de dados em tempo real a sistemas internos e aprimoramento da gestão de risco operacional e regulatório.

Esses são apenas alguns exemplos de fluxos do front office com potencial para automação para dar maior agilidade às operações de trading. Independente da quantidade, é importante saber que a transformação digital é uma estratégia essencial para reduzir custos e obter vantagem competitiva. A Bloomberg pode ajudar você a acelerar sua transição para a era da automação. Entre em contato com um especialista da Bloomberg LP aqui

Agende uma demo.