Automação de FX permite estratégia personalizada de trading

As recentes condições de mercado têm levado a um foco renovado em ferramentas de automação e a um desejo, por parte dos gestores de portfólio e traders de FX, de personalizá-las como bem entenderem.

Em um ambiente de mercado normal, o uso da automação é gradual e evolui aos poucos. Ao adaptar o trading eletrônico para otimizar seus processos, as empresas passam a testar uma variedade de novas tecnologias e a adaptá-las a novas ferramentas e componentes gradualmente, como parte de sua prática e rotina diárias.

Em geral, mercados voláteis tendem a operar manualmente. No entanto, os mercados atuais são de uma natureza muito diferente, pois vários inputs contribuíram para sua turbulência, e as velhas regras não se aplicam mais. Embora impensável no passado, o “novo normal” imposto pelo trabalho fora do escritório provou que os bancos e gestoras de ativos podem desempenhar as mesmas funções remotamente durante uma pandemia.

Como todas as organizações têm processos, requisitos e arquiteturas de tecnologia diferentes, não há uma solução “tamanho único” de trading automatizado. Mas, independentemente de como uma mesa de trading abrace a automação hoje, é essencial moldar uma visão e metas para uma automação futura intuitiva e sem descontinuidades, fazendo o melhor uso possível das ferramentas disponíveis.

Para isso, uma ferramenta de automação de FX eficaz e otimizada deve incluir:

  • Melhor execução
  • Interface totalmente personalizável
  •  Velocidade e eficiência de execução
  • Redução de erros
  • Requisitos de integração mínimos

O primeiro passo para personalizar uma solução de automação é compreender os requisitos necessários, considerando o processo atual, os elementos que precisam ser automatizados, e os pontos críticos – e como podem ser minimizados. Ao considerar a automação, é importante responder as seguintes perguntas:

Qual é o fator mais importante que leva uma organização a considerar a automação de FX?

Os fatores mais importantes a considerar na automação de FX variam de empresa para empresa. Enquanto algumas procuram escalar seu modelo de negócios por meio da tecnologia, outras buscam obter consistência em Best Execution, reduzir o risco operacional e de conformidade, ou satisfazer os timings precisos exigidos por seu estilo de negociação.

O que desencadeia a necessidade de execução de trade?

A execução de trade de FX pode se originar de várias formas, cada qual com suas próprias implicações para um processo automatizado. Por exemplo, uma negociação pode acontecer organicamente, durante uma conversa com um cliente; ou ser iniciada por modelos, quer manuais quer autônomos, ou ser calculada automaticamente por um processo, como o hedging de final de dia.

Como o trade deve ser administrado?

Em alguns cenários, é suficiente deixar a automação encontrar o melhor preço em uma lista de dealers do processo que desencadeou a necessidade de trade. Em casos mais avançados, o modelo que desencadeia a necessidade de trade não pode ser dissociada da gestão da negociação tão facilmente. O trader deve estar ciente de todas as cotações de dealers e só então tomar a decisão de executar a negociação.

É provável que as respostas para as perguntas acima mudem com o tempo. É importante, portanto, utilizar soluções que não apenas satisfaçam as necessidades atuais, mas que sejam flexíveis e possam crescer à medida que as necessidades comerciais e a tecnologia evoluem.

Como a automação de FX pode funcionar para sua mesa de operações

Cada organização possui desafios e necessidades diferentes na automação de suas negociações de FX, mas soluções flexíveis como as da Bloomberg permitem às empresas escolher como automatizar e, ao mesmo tempo, avaliar análises mensuráveis.

Agende uma demo.