Como a tesouraria faz a diferença

Este artigo foi escrito por Peter Child e reproduzido a partir do blog da Association of Corporate Treasurers. Licenciado pela Bloomberg.

É notável ver os avanços realizados pela tesouraria desde 1980. Naqueles dias, a função do tesoureiro era considerada muito mais como a dos contadores de back-office que lidavam com investimentos de grandes somas ou acordos de empréstimo. Nos anos 80, havia um certo mistério por trás dos grandes departamentos de “tesouraria”. Na prática, grandes ou pequenos, estes departamentos e seus administradores desempenhavam um papel significativo. A seguir, analisamos três áreas essenciais e como elas se desenvolveram nos últimos 40 anos.

Operações financeiras

Um componente considerável da tesouraria tem sido a colocação de depósitos e o arranjo de empréstimos. Gestão de caixa, liquidez, controle de capital de giro, controle de crédito, captação de recursos e relatórios financeiros têm sido elementos comuns do papel do tesoureiro. Taxas de juros, prazos de empréstimo, garantias, condições e acordos, juntamente com transações de câmbio, sempre foram itens essenciais de diferença para se obter o melhor negócio e uma vantagem competitiva. Ao longo dos anos, estes se tornaram cada vez mais complexos e sofisticados com a abertura de novos mercados e territórios. A abundância de bancos e instituições financeiras atualmente disponíveis, junto ao crescimento dos hedge funds e outros intermediários financeiros, permite que tesoureiros explorem novas ideias. O uso de contratos de compra a prazo e leasing também contribuiu para as muitas opções de financiamento disponíveis para um tesoureiro.

Quer otimizar a sua tesouraria? Fale com um especialista

Transações financeiras levam à revisão do balanço e o tesoureiro sempre dedicou um tempo considerável avaliando o valor dos ativos e compreendendo o passivo (às vezes contingente). Da mesma forma, uma compreensão das pensões, particularmente esquemas de salário final e seus grandes déficits, tem se tornado cada vez mais uma área de risco para o tesoureiro. Este trabalha frequentemente com o auditor (externo ou interno) para garantir as melhores práticas, boa governança e políticas apropriadas.

Risco

De mãos dadas com as transações financeiras e acordos de financiamento, vem a avaliação de risco e uma profunda compreensão das áreas comerciais em todo o mundo. Finanças de curto e longo prazo, juntamente com exigências diferentes cada setor (por exemplo, construção versus varejo de alimentos), tornaram-se palavras de ordem para o tesoureiro. Também levando em conta a evolução da tecnologia, que expandiu as opções financeiras especialmente nos países em desenvolvimento. Uma revisão das condições econômicas fundamentais, além da constante ameaça de altas e baixas dos territórios emergentes, fez com que a avaliação de riscos constituísse uma parte importante das responsabilidades do tesoureiro – isso continua tão real atualmente quanto era no passado. Por sua vez, descobri que o tesoureiro agora passa mais tempo revisando as opções de seguro para mitigar tal risco e assume a responsabilidade pelo risco/recompensa de tal cobertura. A avaliação qualitativa e quantitativa do risco se tornou indispensável e os conselhos estão cada vez mais buscando respostas na tesouraria.

Estratégia

O papel do tesoureiro agora combina efetivamente as duas áreas acima e, em todas as empresas (até mesmo pequenas), o “tesoureiro” tornou-se um membro-chave da equipe executiva, muitas vezes trabalhando com o CEO em novos projetos. Seja em grandes multinacionais ou em uma pequena instituição de caridade, a atenção aos detalhes, bom senso e prudência exigidos do tesoureiro fará uma diferença fundamental para seu sucesso ou fracasso. Alguns aspectos da tesouraria inevitavelmente se confundem com o departamento de finanças, por exemplo, o estabelecimento de orçamentos e relações com investidores, mas o benchmarking e a análise de índices são ferramentas de mensuração naturais para o tesoureiro.

Espero que isso tenha estabelecido as principais diferenças que um tesoureiro pode trazer para uma organização. Brexit, Trump e China, o aumento da inflação global, são os temas quentes de hoje. Mas o que será amanhã? O papel do tesoureiro sempre será importante e fará diferença.

Agende uma demo.