Por Jamie Butters e Ryan Beene.

A Fiat Chrysler Automobiles está investindo US$ 1 bilhão em uma fábrica de veículos de Michigan e pagando bônus aos trabalhadores após um corte tributário dos EUA, medidas que podem ser úteis em meio à discussão de questões políticas importantes em Washington.

A fabricante ítalo-americana dividirá os ganhos obtidos com a redução da alíquota de um imposto corporativo enviando cheques de US$ 2.000 a cerca de 60.000 trabalhadores nos EUA. Além disso, a Fiat Chrysler investirá mais de US$ 1 bilhão e criará 2.500 postos de trabalho em uma fábrica perto de Detroit para a produção das picapes Ram, que a empresa vinha fabricando no México.

As decisões podem contribuir para a causa da Fiat Chrysler. As ameaças de Donald Trump de tirar os EUA do Acordo de Livre Comércio da América do Norte ou de mudar o tratado drasticamente geraram alertas de grandes danos na indústria automotiva. O presidente também disse que facilitará a vida das fabricantes de automóveis em relação aos padrões de economia de combustível que sua administração está reanalisando e pediu explicitamente que retribuam o favor contratando mais trabalhadores.

“Fazer com que o plano tributário de Trump pelo menos pareça recompensar os trabalhadores bastante rapidamente deve ser positivo para o governo”, disse o analista da AutoPacific Dave Sullivan, por telefone. “Parte disso também é mostrar ao governo quantos trabalhadores eles têm aqui nos EUA” e sinalizar que a empresa “injetará esse dinheiro diretamente na economia”.

Alta das ações

O investimento ocorre após forte salto das ações da Fiat Chrysler em meio ao otimismo em relação à reformulação da linha de produtos da empresa com novas picapes e SUVs. As ações da empresa listadas nos EUA já subiram 31 por cento neste ano após quase dobrarem em 2017. A fabricante de automóveis deverá revelar a Ram 1500 atualizada e modelos Jeep Cherokee no Salão do Automóvel de Detroit, na semana que vem.

“É justo que nossos funcionários compartilhem das economias geradas pela reforma tributária e que reconheçamos abertamente a melhoria resultante no ambiente de negócios dos EUA investindo, em consequência, em nossa pegada industrial”, disse o CEO Sergio Marchionne em comunicado.

A Fiat Chrysler vem produzindo picapes Ram em Saltillo, México. A planta da empresa no país será reconfigurada para a construção de veículos comerciais.

A consolidação da produção da Ram em Michigan ajudará a proteger a Fiat Chrysler de possíveis distúrbios no Nafta. Trump repetiu a ameaça de deixar o acordo comercial na quinta-feira, um dia depois de as autoridades canadenses afirmarem que viram as chances de saída aumentarem.

O investimento “é uma proteção da FCA contra a crescente probabilidade de o Nafta ser cancelado ou renegociado para favorecer a fabricação nos EUA”, disse Erik Gordon, professor da Escola de Negócios Ross da Universidade da Michigan, por e-mail. “É a melhor notícia para os trabalhadores do setor automotivo de Michigan em muito tempo.”

Entre em contato conosco e assine nosso serviço Bloomberg Professional.