FX hedging: proteção contra exposição a risco de câmbio

Para tesoureiros que operam no mercado de câmbio, os desafios inerentes à negociação de câmbio são bem conhecidos. O mercado de câmbio é o maior do mundo em termos de volume de transações e liquidez; portanto, o trading de moedas implica lidar com preços que se alteram o tempo todo. A cada segundo, a taxa de compra ou venda de uma determinada moeda muda; essa volatilidade pode prejudicar os investimentos dos operadores, resultando em perdas significativas para a empresa como um todo.

Top 5 estratégias financeiras para gestores. Acesse o relatório

O risco de câmbio é um subproduto inevitável deste mercado, mas que pode ser reduzido com a utilização de estratégias de hedge eficazes anteriores à negociação. É importante enfatizar que o objetivo das práticas de hedging não é gerar lucros, mas proteger a empresa e evitar perdas substanciais. É uma forma de evitar prejuízos financeiros provenientes de flutuações de câmbio.

Ferramentas adequadas, que contribuem com o fluxo de trabalho de trading, são essenciais para a concepção de estratégias eficientes de FX hedging  — ou hedging de câmbio — que podem reduzir ou até eliminar o risco de exposição de câmbio. Ao lidar com bancos, as empresas têm muito mais a perder com cada transação, já que os bancos sempre lucram com as taxas de spread.

As flutuações de câmbio são inerentes a cada transação; ao mesmo tempo, os tesoureiros precisam continuar fazendo trading como parte de seu fluxo de trabalho. Então, como podem reduzir o impacto do risco de câmbio em suas operações antes mesmo que o mesmo ocorra?

Reduzindo o risco da taxa de câmbio no pré-trading

As operações de hedging atuam como uma proteção de preço, na qual o participante protege, total ou parcialmente, uma determinada exposição futura de câmbio contra variações adversas nas taxas e preços. Esta estratégia elimina todas as incertezas intrínsecas a uma taxa de câmbio, independente de variações que possam ocorrer no mercado. A prática de hedging de câmbio se aplica apenas quando as empresas possuem operações internacionais e exposição a moedas estrangeiras, pois o hedging não é necessário para operações realizadas somente em moeda local.

Por exemplo, é comum que as empresas de exportação e importação possuam contratos futuros de dólar para se protegerem de flutuações abruptas nas taxas de câmbio. Neste momento, o tesoureiro que gerencia um portfólio busca proteção, caso a moeda não tenha a taxa ou o desempenho esperado em um determinado período. Para realizar este tipo de análise, os tesoureiros contam com uma série de ferramentas para fornecer todas as informações necessárias ao projetar sua estratégia de hedging na etapa de pré-trading.

Como o hedging é opcional para as tesourarias, as perguntas levantadas por analistas sobre esta estratégia giram em torno de quando e como fazer hedge e quais os possíveis benefícios que a prática pode trazer. As respostas nem sempre são as mesmas, mas são sempre obtidas por meio de acesso total a instrumentos de hedge (contratos futuros de NDFs [non-deliverable forward], forwards, operações com opções, swaps, entre outros), curvas de juros, relatórios econômicos e notícias com foco nas perspectivas de mercado. A assertividade de insights e informações determinará a eficácia da estratégia de hedging.

Hedging de câmbio: benefícios e impactos

O fluxo de trabalho ideal de hedge inclui a previsão da probabilidade de movimento de uma moeda em uma data específica, para um planejamento mais adequado das estratégias de investimento em geral. O próximo passo é a comparação de estratégias e instrumentos para encontrar a estrutura mais adequada para as exposições em questão. Como obter todas estas informações e, em seguida, negociar os instrumentos selecionados?

Com acesso a uma solução que torne todos os preços de instrumentos de hedge disponíveis de uma forma transparente e permita o trading na mesma ferramenta, os tesoureiros podem realizar essa atividade de uma forma mais rápida e otimizada. Sem precisar entrar em contato com vários bancos para obter cotações, o operador economiza tempo e pode visualizar todos os preços em um só lugar, o que facilita a execução, possibilita obter o melhor preço disponível e simplifica o processo em geral.

Além disto, ao cotar com um único banco, o tesoureiro fica à mercê das cotações e dos spreads desta instituição específica, sem saber se o preço oferecido é consistente com a média de mercado. Se a empresa gasta mais em compras de câmbio (devido ao alto spread), o fluxo de caixa pode ser afetado negativamente, limitando os recursos disponíveis para outras atividades. Nesse caso, a empresa teria que voltar ao banco e pedir um empréstimo para cobrir tal impacto. Esse é o início de um ciclo vicioso: a empresa paga spreads elevados, prejudica seu fluxo de caixa e pode ter que pedir crédito à mesma contraparte com a qual negociou os instrumentos.

O hedging também é um passo importante para que os tesoureiros tenham uma visão realista do balanço financeiro de sua empresa, bem como um entendimento mais claro de seu desempenho em geral. Para empresas que não realizam tal atividade [hedging], as flutuações de taxas de câmbio não são consideradas no balanço patrimonial, portanto, o lucro apresentado pode não refletir os resultados das vendas de produtos. Por exemplo, se uma empresa na Inglaterra apresentar um balanço de US$ 1M no início do mês, e, até o final do mês, o dólar valorizar em relação à libra esterlina, o saldo do balanço em libras será muito menor, mas isso não significa que a empresa vendeu menos ou está apresentando baixo desempenho em comparação com os meses anteriores. Compreender a saúde financeira do balanço patrimonial da empresa é essencial para avaliar suas perspectivas como um todo, além de ser um fator importante na apresentação de resultados para a diretoria e para tomar decisões futuras baseadas em tais relatórios.

Ter acesso a uma ferramenta que permita a negociação com hedge oferece uma vantagem significativa sobre o processo de cotação manual, mas contar com uma solução que também forneça notícias e relatórios econômicos é um ativo ainda melhor que traz benefícios ainda maiores. Ser capaz de acessar artigos escritos por especialistas e pesquisadores e definir alertas para receber notícias em tempo real permite que os tesoureiros tenham uma compreensão mais ampla sobre perspectivas do mercado, ativos e instrumentos. Saber, em primeira mão, que um evento nos EUA está movimentando os mercados em um determinado momento e causará um impacto no preço do dólar, por exemplo, pode economizar tempo e alertar os tesoureiros sobre possíveis variações futuras na taxa de câmbio. Eles podem, então, se preparar e integrar esse conhecimento às suas estratégias de hedging.

Práticas de hedging aplicadas a commodities

Dependendo do ramo de atividade da empresa, sua exposição não é limitada ao câmbio —   outras classes de ativos também podem se beneficiar de uma estratégia de hedging. As commodities são um exemplo muito comum, pois os preços destes produtos também estão sujeitos a grandes flutuações. Se uma empresa que fabrica embalagens plásticas, por exemplo, executa apenas o hedging de câmbio, não estará protegida em caso de variações abruptas no preço do petróleo. Como exemplo, a crise na Venezuela, no início de 2019, teve um grande impacto na produção e nas exportações de petróleo, resultando em uma alteração significativa no preço de venda. Esta mudança gerou um impacto muito menor sobre as empresas que contavam com um hedge de petróleo.

Conforme o risco de commodities se torna mais relevante para as empresas que procuram reduzir as adversidades de fluxo de caixa, as soluções automatizadas podem otimizar o L&P corporativo geral.

Fortalecidas com o uso de estratégias de hedging e com a solução certa que agregue todas as ferramentas adequadas para realizar tais atividades de forma assertiva, as tesourarias podem gerenciar o risco na empresa de forma mais eficaz. Isto reduz a exposição a possíveis perdas, melhora a eficácia de custos, aumenta a rentabilidade e ajuda a identificar novas oportunidades de negócios com mais facilidade.

Como o Terminal Bloomberg pode ajudar:

  • Obtenha cotações precisas de instrumentos futuros, como NDFs e swaps.
  • Verifique preços com várias contrapartes ao mesmo tempo.
  • Verifique resultados em tempo real ao negociar com uma contraparte específica em comparação a outras.
  • Calcule com facilidade os resultados produzidos pelo hedging.
Agende uma demo.