Gestão de tesouraria: por que encontrar o sistema ideal

Este artigo foi escrito por Mark Lewis, Especialista em Mercados de Tesouraria Corporativa da Bloomberg.

Em mercados cada vez mais complexos, profissionais de gestão de tesouraria devem gerenciar seu tempo de forma mais estratégica, simplificando processos e usando soluções mais eficientes e automatizadas.

Por que ter um sistema de gestão de tesouraria?

Sabendo disso, sistemas de gestão de tesouraria (TMS) são ferramentas valiosas para que os tesoureiros alcancem melhores resultados, proporcionando maior visibilidade de caixa e controle financeiro para mitigar riscos.

Quando o assunto é adquirir um novo sistema de gestão de tesouraria, três grandes preocupações surgem: as soluções de fornecedores agregadas, as integrações fragmentadas e a ineficiência de custos. Tudo isso acaba exigindo grande investimento de tempo e recursos, e uma escolha equivocada pode fazer com que os workflows de tesouraria sejam ainda mais complexos do que são atualmente.

Top 5 estratégias financeiras para gestores. Acesse o relatório

3 dicas rápidas para sistemas de gestão de tesouraria:

Para facilitar sua tomada de decisão, que tal conferir alguns insights da pesquisa de possíveis fornecedores de TMS para a área de tesouraria em empresas? Siga em frente.

  • Se optar pelo out-of-the-box, não personalize

Fornecedores valorizam as maiores empresas e os milhões que elas gastam em TMS e consultores externos que as personalizam. Soluções “out-of-the-box” podem ter preços muito mais baixos, mas tentar personalizar o sistema para fornecer os mesmos relatórios que cada tesouraria específica usava antes da implementação pode acabar custando uma pequena fortuna.
Para obter relatórios e dados que uma equipe de tesouraria específica necessita e que podem não estar disponíveis nestes sistemas prontos para uso, os tesoureiros devem perguntar sobre as APIs que cada fornecedor de TMS possui com outras soluções de tecnologia. Se estas outras soluções também puderem ser aproveitadas como parte de suas necessidades de workflow, o esforço necessário para personalização será significativamente menor.
A abordagem ideal é simples: encontrar a solução mais adaptável que se integre à sua tecnologia de tesouraria existente, e que atenda às necessidades atuais da sua área. A tentativa de customizar em excesso pode acabar se tornando um investimento caro, demorado e complicado, podendo não ser lucrativo no longo prazo.

  • Impulsione a padronização para gerar eficiência

A maioria das tesourarias corporativas ainda luta com processos manuais e inconsistentes que podem impactar a produtividade da sua empresa. Ao se basear principalmente em planilhas do Excel para gerenciar seus workflows, e se conectar a contrapartes bancárias por telefone ou plataformas que não se conversam, os tesoureiros continuam a se envolver em tarefas que consomem tempo e são propensas a erros.

Diante de tudo isso, contar com um TMS que automatiza esses processos permite, então, que departamentos de tesouraria padronizem suas funções financeiras e aumentem a eficiência geral.
O “push” para a padronização pode muitas vezes ser visto com desconfiança, já que tesoureiros e profissionais de finanças podem ter resistência em mudar seus processos e workflows de relatórios antigos. No entanto, tudo se trata do custo de oportunidade. Um TMS com APIs integradas para funcionalidades como comércio eletrônico, gestão de risco e contabilidade de hedge, permite que tesoureiros dediquem mais tempo a atividades de valor agregado e desempenhem um papel maior na tomada de decisões estratégicas. Tudo isso acaba beneficiando suas organizações.

  • Implemente internamente para evitar riscos

Uma prática comum ao contratar sistemas de gestão de tesouraria de terceiros é permitir que a solução seja implementada por consultores externos. Embora possa parecer uma abordagem conveniente e que economiza tempo, isso pode fazer com que os membros de um departamento de tesouraria não dominem a mecânica e as complexidades do sistema. Como resultado, ajustes futuros acabam se tornando uma tarefa custosa e complexa.
Afinal, então o que fazer para evitar riscos na hora de contratar um sistema de gestão de tesouraria? Uma alternativa é investir no treinamento de colaboradores e na implementação da solução de TMS internamente, usando recursos externos para substituí-los no dia. Sistemas de gestão de tesouraria exigem treinamento significativo — até mesmo para tesoureiros mais experientes — com o propósito de se atualizar sobre o novo software e como alavancá-lo para as necessidades de tesouraria de uma empresa. Mas isso é essencial, pois a implementação de tais sistemas fornece aos tesoureiros as ferramentas para automatizar processos efetivamente e simplificar a área de compliance, impulsionando o ROI.
Usando os insights apresentados acima, encontrar o TMS ideal se torna uma tarefa menos complexa e permite que tesoureiros sejam mais eficientes em um clima de negócios que muitas vezes é volátil e em constante mudança. Um sistema de gestão de tesouraria forte permite que tesoureiros se tornem mais estratégicos, aumentem a capacidade de controle e agreguem valor à organização como um todo.
Artigo publicado originalmente em abril de 2019

Agende uma demo.