Por Gerry Smith.

Sony. Netflix. E agora, HBO.

Embora o ataque hacker de 2014 à Sony Pictures tenha obrigado as gigantes do setor de entretenimento a levar a segurança informática mais a sério, incidentes recentes expuseram debilidades em toda a cadeia de processos de Hollywood. Na semana passada, enquanto a HBO investigava um ataque cibernético em seus próprios sistemas, um episódio inédito de seu famoso programa “Game of Thrones” apareceu na internet após outro ataque a uma empresa parceira de TV por assinatura na Índia. Em abril, quando 10 episódios do seriado da Netflix “Orange Is the New Black” vazaram, o incidente foi atribuído a uma empresa terceirizada.

Os crimes cibernéticos são um problema crescente para muitos setores, mas Hollywood está especialmente vulnerável por causa da longa cadeia de pessoas que trabalham na pós-produção de um programa ou filme, segundo especialistas. Os estúdios contam com um exército de freelancers para fazer de tudo, dos efeitos especiais às trilhas sonoras, o que cria uma enorme rede de alvos para hackers. Contratar diretamente todos esses trabalhadores é uma opção, mas seria caro e poderia limitar o número de profissionais a que os estúdios podem recorrer.

“Hollywood precisa admitir que isso vai continuar crescendo e será um problema”, disse Mike Orosz, que estuda o risco cibernético como diretor de pesquisa do Instituto de Ciências da Informação da Universidade do Sul da Califórnia.

A HBO exige que os funcionários usem autenticação de dois fatores e senhas fortes em seus computadores. Eles também passam por um treinamento de conscientização de segurança. Mas a empresa trabalha com muitos freelancers na etapa de pós-produção que manipulam informações confidenciais em contas de e-mail pessoais e em aparelhos particulares, o que aumenta as preocupações com a segurança, de acordo com um ex-funcionário que pediu para não ser identificado ao falar sobre um assunto interno.

“Uma vez que o conteúdo está fora de suas mãos, ele fica fora de seu controle”, disse Orosz. “Você depende da segurança do prestador terceirizado.”

A HBO continua investigando como os hackers invadiram seu sistema informático. Foram roubados episódios dos seriados “Segura a Onda”, com Larry David, e “Ballers”, disse na época uma pessoa familiarizada com o assunto.

Também foram roubados e-mails de um executivo e o resumo de um capítulo inédito de “Game of Thrones”, de acordo com a revista Variety.

Aparentemente, os hackers não violaram todo o sistema de e-mail da empresa, disse o CEO Richard Plepler aos funcionários na semana passada. A unidade, pertencente à Time Warner, não quis fazer nenhum comentário adicional.

Para Hollywood, os hackers são um risco tanto à reputação quanto às empresas. Um filme roubado que aparece na internet antes de chegar aos cinemas perde 19 por cento de sua receita de bilheteria, em média, em comparação com os filmes que são pirateados depois da estreia, de acordo com um estudo de professores da Universidade de Maryland e da Universidade Carnegie Mellon. As pessoas podem não estar dispostas a fazer uma conta na Netflix ou no HBO se puderem assistir seus programas e filmes preferidos gratuitamente pela internet.

Entre em contato conosco e assine nosso serviço Bloomberg Professional.