Os 5 desafios do tesoureiro corporativo

Confira abaixo os pontos principais de um e-book publicado recentemente pela Bloomberg detalhando os 5 grandes desafios enfrentados regularmente pelos tesoureiros corporativos: FX trading, hedge cambial, marcação a mercado, hedge accounting e a automação de todo o fluxo de trabalho. O material também discute como superar esses desafios e transformá-los em oportunidades e vantagens competitivas. O e-book completo está disponível para download aqui.

O ambiente global de volatilidade, incertezas políticas e mudanças econômicas tem impacto imediato nas empresas. E independentemente do tamanho da organização, a expectativa é que as tesourarias assumam mais responsabilidades e operem com menos recursos.

Grande parte do trabalho diário desses profissionais envolve negociação de câmbio, operações de hedge para mitigar o risco cambial, hedge accounting para eliminar ou reduzir a volatilidade nos resultados obtidos com hedge e o cálculo do modelo de contabilidade de marcação a mercado para definir o valor justo dos instrumentos financeiros no balanço patrimonial. Com o aumento no número de tarefas tão complexas, ferramentas especializadas se tornaram u, recurso estratégico dos tesoureiros.

Ganhar eficiência e clareza nesses processos por meio de uma solução que agrega todas as etapas do fluxo de trabalho da tesouraria impacta significativamente a produtividade de uma organização, reduzindo consideravelmente o tempo investido em tarefas manuais e diminuindo ou eliminando riscos operacionais.

Quais são os 5 principais desafios do tesoureiro corporativo? Baixe o e-book e descubra

Em linhas gerais, os 5 desafios enfrentados por profissionais de tesouraria são:

FX trading

O fechamento de câmbio é uma operação essencial para empresas com exposição a moedas estrangeiras. Contudo, muitas tesourarias corporativas ainda o realizam de forma manual, gerando ineficiência, menor transparência e muitas vezes spreads mais altos. Descubra como o fechamento eletrônico de câmbio pode resolver estas questões reduzir os custos das transações.

Hedge cambial

O hedge cambial tem a finalidade de proteger as companhias das mudanças constantes de preços de suas exposições cambiais, de modo a que as cotações futuras sejam fixadas. Com as ferramentas, informações e calculadoras corretas é possível mitigar o risco cambial de maneira muito mais eficiente e segura, além de reduzir custos operacionais.

Marcação a mercado

A marcação a mercado é o método utilizado para calcular a exposição real de empresas que trabalham com instrumentos cambiais como NDF’s, Swaps e Opções de modo que a apresentar um cenário realista para a situação financeira da companhia. Além de eliminar a complexidade, ferramentas corretas para fazer o MtM, agregam transparência e confiabilidade necessárias para processos de compliance e auditoria.

Hedge accounting

O objetivo do hedge accounting é reduzir ou até mesmo eliminar o impacto da volatilidade no resultado financeiro das empresas que estão exposta a câmbio, juros ou commodities. Esta pode ser uma prática complexa ou onerosa para as tesourarias. Uma ferramenta especializada irá tornar o hedge accounting um processo automatizado, rápido e confiável, além de altamente aceito pelas principais auditorias.

Fluxo de trabalho de tesouraria

As tesourarias podem ter um fluxo de trabalho mais simples, somente operações de fechamento de câmbio ou mais complexo, com inúmeros derivativos que precisam ser precificados e contabilizados corretamente. Um fluxo manual deixa as tesourarias sujeitas a eventuais erros operacionais, falta de transparência, e custos elevados e desnecessários. Já um fluxo de trabalho automatizado elimina estes problemas além de possibilitar a redução de custos.

Agende uma demo.