Os highlights da decisão do Copom: 20 de junho

Veja aqui os highlights da decisão do Copom:

  • BC manteve Selic estável em 6,5%, mas não se comprometeu com manutenção adiante ao retirar frase sobre “próximas reuniões”
  • Mudança na comunicação deixa porta aberta para avaliar uma possível subida de juros à frente
  • Próximos passos da política monetária, diz BC, serão condicionais à evolução da atividade econômica, balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação
  • BC também elevou a projeção de inflação no cenário Focus de 3,6% para 4,2% em 2018 e reduziu de 3,9% para 3,7% em 2019
  • Sobre cenário externo, BC disse que “seguiu mais desafiador e apresentou volatilidade”
  • Curva deve perder prêmio na parcela mais curta por manutenção; tom hawkish pode levar a movimento de queda dos prêmios no segmento mais longo
Cobertura completa do Copom Gostaria de ter acesso em tempo real? Saiba como

Achei importante por ter destacado elementos novos. Destacou a questão dos choques temporários que inflação sofre e a mudanças do preços relativos pela greve dos caminhoneiros. Nesse contexto de choques, sempre se começa a discutir uma alta dos juros, pois haveria risco de desancoragem. Para o BC, o que importa é o choque secundário
Silvia Matos, pesquisadora do IBRE-FGV

BC reforçou que as perspectivas de convergência da inflação para as metas não requerem resposta imediata de política monetária, já que existem fatores que mitigam os efeitos nocivos advindos dos impactos secundários desta piora
Contudo, o fato de não ter sinalizado tão explicitamente como vinha fazendo anteriormente o que pretende fazer nas próximas reuniões poderá ser interpretado como “sinal” de menor segurança quanto à manutenção por longo tempo da taxa básica de juros no patamar atual
Jankiel Santos, economista-chefe do Banco Haitong

O banco central chamou a atenção para uma possível frustração da continuidade das reformas, o que pode contribuir para uma piora do balanco de riscos de inflação.
Davison Santana, FX Strategist

Projeções no cenário Focus situam-se em torno de 4,2% para 2018 e de 3,7% para 2019. Cenário supõe trajetória de juros que encerra 2018 em 6,50% e 2019 em 8,0%. Taxa de câmbio que termina 2018 em R$/US$ 3,63 e 2019 em R$/US$ 3,60.
No cenário com juros constantes a 6,50% a.a. e taxa de câmbio constante a R$/US$ 3,70, as projeções situam-se em torno de 4,2% para 2018 e 4,1% para 2019.
Fernando Travaglini, Editor Portuguese Service

Veio em linha com o que eu esperava. Colocou o risco externo, mas não muito pior do que era na reunião passada. Projeção de inflação subiu, mas porque expectativa subiu um pouco e também um pouco mais de câmbio
Adauto Lima, economista da Western Asset

O gráfico abaixo representa bem a montanha-russa vivida pelos mercados na última semana. A curva de juros se encontra hoje a níveis bastante superiores em relação à data do último Copom (pontilhado em verde), especialmente no longo prazo, mas já se encontra abaixo do nível visto na semana anterior (pontilhado em amarelo).
Sandro Amorim, LATAM FI Market Specialist

Clientes da Bloomberg conseguem acessar a cobertura completa em tempo real do Copom através da função TLIV.

Agende uma demo.