Seu sistema de tesouraria tem uma grande necessidade de dados?

Artigo escrito por Michael Briody, especialista em tesouraria corporativa da Bloomberg.

2020 foi um ano de mudanças, com aumento significativo no uso de tecnologia, especialmente por parte das empresas. À medida que as equipes de tesouraria corporativa continuam em trabalho remoto, é essencial que todos tenham acesso aos mesmos dados, da mesma fonte, ao desempenhar atividades críticas, tais como a preparação de relatórios e valuations.

Top 5 estratégias financeiras para gestores. Acesse o relatório

Por trás de toda esta tecnologia, estão os dados que a alimentam. É imperativo ter certeza de que os dados consumidos pelos sistemas corporativos – principalmente os de gestão de tesouraria (TMS) – são consistentes e precisos, estão atualizados e provêm de uma fonte confiável. Tais garantias fortalecem a confiança nas estatísticas e informações financeiras fornecidas aos executivos de alto nível (C-suite) e a outros stakeholders da empresa. Portanto, os dias em que dados obsoletos eram obtidos em sites da internet são coisa do passado.

Além disso, os padrões de auditoria estão evoluindo, as regulamentações vêm aumentando, e as normas contábeis estão em transformação. Dados de má qualidade podem interferir na precisão e conformidade de relatórios, o que, por sua vez, pode abalar a confiança construída perante os principais stakeholders das empresas. Por fim, no novo ambiente econômico imposto pela COVID-19, houve aumento do risco de default em determinados setores, exigindo total transparência financeira.

À medida que as equipes de tesouraria avaliam como seus processos funcionam em um ambiente de trabalho remoto, a necessidade mais urgente é automatizar certos procedimentos para reduzir erros manuais que levam a um hedging inadequado ou à preparação de relatórios financeiros incorretos.

Os departamentos de tesouraria devem avaliar quais dados alimentam sistemas de gestão empresarial (ERP) e de tesouraria (TMS), softwares para contabilização de operações de arrendamento (lease accounting) e drives internos compartilhados na empresa. Tarefas como recuperar rapidamente informações históricas e comprovar valuations anteriores são mais eficientes quando uma empresa alavanca os mesmos dados para todos os processos.

O mundo dos dados está em rápida transformação, e os departamentos de tesouraria devem estar à frente desta mudança. A Bloomberg dá suporte à demanda dos tesoureiros por dados mais precisos e unificados com soluções que integram, por exemplo, as necessidades de dados de spots e forwards de câmbio, curvas de taxas de juros e taxas de CDS. Com a Bloomberg, as empresas podem acessar taxas incrementais de empréstimo (IBRs) para satisfazer as novas normas contábeis impostas pelo ASC 842. Isto pode ajudar as equipes de tesouraria a focar em iniciativas mais estratégicas e ter toda a tranquilidade quanto à precisão dos seus dados.

Por fim, mas não menos importante, a vantagem de ter um fornecedor dedicado de dados terceirizado, tal como a Bloomberg, é que a mesma licença normalmente pode ser compartilhada por toda a empresa, mesmo por setores externos à tesouraria. O departamento de relações com investidores pode utilizar dados ambientais, sociais e governamentais (ESG), o de contabilidade pode utilizar dados sobre a expectativa atual de perda de crédito e o de estratégia corporativa pode alavancar campos de dados em tempo real.

Agende uma demo.